“Há muitas pessoas querendo experimentá-la”, disse o fundador da CellX, Yang Ziliang (Foto: Emily Chow/Reuters)

Com os problemas que a China tem enfrentado envolvendo a pecuária, o país tem buscado meios de diversificar sua produção e de incentivar empresas que estão desenvolvendo alternativas à carne convencional.

Em um cenário de preocupação com a gripe suína, associada principalmente à criação de porcos em sistema intensivo, a startup chinesa CellX divulgou neste mês de setembro uma seleção de pratos à base de carne de porco cultivada a partir de células.

Como a China é a maior produtora e consumidora de carne suína do mundo, e ao mesmo tempo um dos países mais interessados em proteínas alternativas, a CellX estima que até 2025 suas opções de carne cultivada já estarão disponíveis aos consumidores pelo preço da carne convencional.

“Há muitas pessoas querendo experimentá-la”, disse o fundador da CellX, Yang Ziliang, à Reuters. “Nosso objetivo é mudar a forma como a carne é produzida. Esse não é apenas um problema da China, é um problema global. Portanto, para alcançarmos nossa meta, precisamos ser uma empresa global.”

Ainda segundo Ziliang, a carne cultivada pode reduzir de forma significativa o impacto ambiental da criação de animais para consumo, e ao mesmo tempo em que evita problemas associados ao bem-estar animal e surgimento de doenças.

Futuro da carne cultivada 

Vale lembrar que só em 2020 a China consumiu 86 milhões de toneladas de carne – o equivalente a 30% da demanda global. “A China precisa urgentemente de um fornecimento de carne mais limpa para cumprir suas metas de carbono”, defende a startup.

A CellX acrescenta que a carne cultivada é mais estável do que a convencional porque não é impactada pela escassez e volatilidade gerada por surtos como o da peste suína.

Um relatório da McKinsey prevê que a carne cultivada pode se tornar uma realidade global ao alcance do consumidor a partir de 2030, conforme a indústria amplia sua produção e evolui em pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Em 2020, Singapura se tornou pioneira na regulamentação da carne cultivada a partir de células de frango. Porém, o produto não é regulamentado ainda na China, o que significa que não pode ser comercializado no país por enquanto.

Saiba Mais

No início do ano, a CellX arrecadou US$ 4,3 milhões em investimentos.

Gosta do trabalho da Vegazeta? Colabore realizando uma doação de qualquer valor clicando no botão abaixo: 

Fonte da notícia : https://vegazeta.com.br/em-2025-carne-cultivada-tera-mesmo-preco-da-convencional-na-china/

Data da publicação : 2021-09-14 15:08:38

#carne #cultivada #terá #mesmo #preço #convencional #China