Até o dia 23 de julho, startups com projetos de desenvolvimento para a região amazônica podem tentar parceria com a Ambev através da Aceleradora 100+. Em sua terceira edição, o programa de auxílio a projetos inovadores abriu um novo tema com foco em Bioeconomia para a conservação da biodiversidade da região.

Estão na mira da aceleradora para esse tema “projetos para manter a floresta em pé, sistemas regenerativos e restaurativos e cadeias de suprimentos sustentáveis na agropecuária”, diz Lisa Lieberbaum, gerente de sustentabilidade da Ambev.

O programa de aceleração também quer captar projetos em outros cinco temas que já estão no radar desde a sua primeira edição, em 2018. São eles: gestão de água, agricultura sustentável, energia para mudanças climáticas, embalagem circular e ecossistema empreendedor. Nesse último, entram propostas dedicadas à produção de cerveja, como a valorização de outros produtos gerados no mesmo processo, rastreabilidade da cadeia, produção regional e projetos de diversidade e inclusão.

Os selecionados terão treinamento com executivos da empresa, de fundos de investimento e advogados para elaborar projetos para a própria Ambev ou para parceiros como Unilever e Pepsico.

O programa de aceleração da Ambev faz parte da política de adequação da empresa aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs) definidos pela ONU. “Buscamos startups que avancem e que nos ajudem com as nossas metas de 2025”, diz Lisa.

Entre as metas estão ter toda a eletricidade vinda de fontes renováveis, reduzir 25% as emissões de carbono na cadeia de valor, melhorar a disponibilidade e a qualidade da água para as comunidades em que as fábricas da cervejaria estão localizadas e ter embalagens retornáveis ou feitas na maior parte de conteúdo reciclado, para todos os produtos.



Link original