Já foram entregues 60 unidades dos protetores faciais microbicidas a instituições de saúde. Foto: Divulgação/Agência Fapesp/CDMF

O Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a startup Nanox Tecnologia desenvolveram máscaras tipo face shields por impressão 3D com material microbicida.  

Os protetores foram entregues para unidades de saúde em São Carlos, (Hospital Escola e UPAs), Descalvado (Santa Casa e CAPS) e Porto Ferreira (Santa Casa e APAE) no interior de São Paulo.  

A ação é resultado da parceria do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), na UFSCar, com o grupo “Você Também Pode Ajudar”, de São Carlos.  

Ao todo, já foram doadas mais de 1 mil unidades de face shields, além de outros produtos, como aventais, máscaras e equipamentos para intubação de pacientes em estágio grave da Covid-19.  

Uma das principais vertentes de pesquisa do CDMF é o desenvolvimento de materiais para o setor de saúde. Já estão em teste diversos materiais à base de partículas de prata e com ação microbicida para a adição em matrizes poliméricas e cerâmicas.  

Propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais observadas indicam que esses materiais podem ser promissores no combate à proliferação do vírus em diversas superfícies.  

A Nanox, startup apoiada pelo Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), também já produz máscaras de proteção facial em parceria com a indústria Elka.



Link original